Ensino F. 6° ao 9° Ano

Práticas reflexivas que contextualizam a aprendizagem na construção de saberes e fazeres.

Nível de Ensino - Fundamental 6º ao 9º Ano

Objetivos Gerais:

  • Compreender e exercitar a cidadania;
  • Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas;
  • Conhecer o Brasil em suas dimensões;
  • Perceber e valorizar a pluralidade;
  • Integrar e respeitar o ambiente, contribuindo ativamente para a melhoria do meio ambiente;
  • Conhecer e valorizar capacidades próprias;
  • Cuidar do seu corpo agindo com responsabilidade em relação à sua saúde e à saúde coletiva;
  • Utilizar as diferentes linguagens – verbal, matemática, gráfica, plástica e corporal;
  • Utilizar fontes de informação e recursos tecnológicos;
  • Questionar, formular e resolver problemas.

Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN

Disciplinas comuns:

Nível de Ensino - Fundamental 6º ao 9º Ano

  • Língua Portuguesa;
  • Matemática;
  • Ciências;
  • História;
  • Geografia;
  • Educação Física;
  • Arte Visual.

Disciplinas diversificadas:

Nível de Ensino - Fundamental 6º ao 9º Ano

  • LEM – Língua Estrangeira Moderna – Inglês;
  • LEM – Língua Estrangeira Moderna – Espanhol;

Outras atividades, diferenciais pedagógicos e recursos:

Nível de Ensino - Fundamental 6º ao 9º Ano

  • Intensa valorização da leitura e da pesquisa;
  • Informática Educativa;
  • Curso de Informática (extracurricular – sem custos);
  • Formação;
  • Oficinas de Cidadania;
  • Apoio Pedagógico/ Monitoria (no contra turno – sem custos);
  • Eventos esportivos, culturais, científicos, cooperativos e solidários;
  • Projeto de Experimentação Científica, Clube da Astronomia, em parceria com o Baú de Ciências (extracurricular) – 4º ao 7º Ano;
  • PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência – palestras com os instrutores do Programa;
  • Orientação Profissional (palestras, feiras, workshops, oficinas de cidadania, etc);
  • Dança, futsal e Oficina de Teatro (extracurricular);
  • Coral, flauta doce, teclado e violão (extracurricular);
  • Iniciação à Robótica (extracurricular);
  • Dança, Natação, Jiu Jitsu e Taekwondo (convênio);
  • Aulas de skate, no Colégio, com a Arca Skateboard;
  • Recursos Multimídia;
  • Laboratórios: Arte, Ciências, Culinária, Informática, Literatura e Multimídia;
  • Informática Educativa e Oficinas de Cidadania são diferenciais pedagógicos, sendo utilizados como apoios para os demais componentes curriculares. Poderão ainda ser propostos como oficina com base em projetos didáticos de trabalhos específicos.

Tarefas/Deveres Escolares:

Nível de Ensino - Fundamental 6º ao 9º Ano

A realização das tarefas escolares é um momento muito importante de aprendizagem. Tem por finalidade desenvolver a autonomia do(a) educando(a), fixar o conteúdo trabalhado em sala de aula, possibilitando aos educadores avaliar o nível de compreensão do(a) educando(a) e criar o hábito do estudo diário.
As tarefas fazem parte do estudo diário, mas não bastam por si só, devendo ser complementadas com leitura, produção textual, reescrita ou destaque das ideias principais, esquema, resumo e pesquisa nos livros de registros do Sistema, atividades no computador (links indicados pelos educadores, texto ou resumo digitado), revisão de atividades executadas em sala de aula, entre outras. (Ana Gissele F. da S. Bleyer, 2007).

Avaliações 6º ao 9º Ano:

Nível de Ensino - Fundamental 6º ao 9º Ano

Para a nossa Instituição, “a avaliação que importa é aquela que é feita no processo, quando o educador pode acompanhar a construção do conhecimento pelo educando”. (VASCONCELLOS, 1993, pg.57)
Nossa avaliação é norteada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB – e Resolução nº. 158/08/CEE/SC, publicada em 18/02/2009: “A avaliação deverá ser contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos”.
A recuperação de conteúdos acontece ao longo do processo de aprendizagem.

Acreditamos na avaliação diagnóstica e formativa. Para tanto, pensamos e planejamos a prática educativa articulada com a avaliação. “Este enfoque tem um princípio fundamental: deve-se avaliar o que se ensina, encadeando a avaliação no mesmo processo de ensino e aprendizagem”. Somente neste contexto é possível falar em avaliação inicial (avaliar para conhecer melhor o educando e ensinar melhor) e avaliação final (avaliar ao finalizar um determinado processo didático).
“Se a avaliação contribuir para o desenvolvimento das capacidades dos educandos, pode-se dizer que ela se converte em uma ferramenta pedagógica, em um elemento que melhora a aprendizagem do educando e a qualidade do ensino.” (Vera Lúcia Camara F. Zacharias, Disponível em
http://serprofessoruniversitario.pro.br/modulos/avaliacao-da-aprendizagem/avaliacao-formativa - Acesso em 13/09/2013, às 14h45min.

Consideramos, o desenvolvimento das potencialidades dos(as) educandos(as), bem como as notas alcançadas, com as devidas considerações do Conselho de Classe, por grupo/turma.
Para os Anos Finais do Ensino Fundamental são intensificados aspectos quantitativos com a realização de atividades de avaliação, periódicas e agendadas, constando de médias trimestrais.

É inserida na avaliação quantitativa, a apreciação dos aspectos qualitativos, que conforme Resolução nº. 158/2008/CEE-SC, devem ser considerados a compreensão e o discernimento dos fatos e a percepção de suas relações; a aplicabilidade dos conhecimentos; as atitudes e os valores, a capacidade de análise e de síntese, além de outras competências comportamentais e intelectivas, e habilidades para atividades práticas.
De acordo também com a Resolução nº. 158/2008/CEE-SC, são oferecidas, a título de recuperação paralela de estudos, novas oportunidades de aprendizagem, sucedidas de avaliação, quando verificado o rendimento insuficiente (inferior a 70%) durante os trimestres, antes do registro das notas trimestrais.
Ter-se-ão como aprovados, quanto à assiduidade, os alunos de frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) das horas de efetivo trabalho escolar.